domingo, 8 de novembro de 2009

Entendendo a lesão medular


A lesão medular traumática ocorre quando um evento traumático, como o associado a acidentes automobilísticos ou motociclísticos, mergulho, agressão com arma de fogo ou queda resulta em lesão das estruturas medulares interrompendo a passagem de estímulos nervosos através da medula. A lesão pode ser completa ou incompleta. A lesão é completa quando não existe movimento voluntário abaixo do nível da lesão e é incompleta quando há algum movimento voluntário ou sensação abaixo do nível da lesão. A medula pode também ser lesada por doenças (causas não traumáticas), como por exemplo, hemorragias, tumores e infecções por virus.




A Medula Espinhal

O sistema nervoso central é formado pela medula espinhal e pelo encéfalo. A medula é constituída por células nervosas (neurônios) e por longas fibras nervosas chamadas axônios, que são prolongamentos dos neurônios e formam as vias espinhais. As vias descendentes conduzem sinais gerados no cérebro relacionados com o movimento e o controle visceral (sistema nervoso autônomo). As vias ascendentes conduzem sinais relacionados com a sensibilidade que são gerados na periferia e são levados para o cérebro. Muitos dos axônios são envolvidos por bainhas que contêm uma substância complexa constituída por gordura, chamada mielina, que permite que a condução dos estímulos nervosos seja mais rápida. Os neurônios estão localizados na parte mais central da medula, na substância cinzenta medular, que tem a forma de uma borboleta. Os neurônios localizados nas porções mais posteriores são relacionados com a sensibilidade e os localizados nas porções anteriores, os neurônios motores inferiores, são relacionados com o movimento.

A medula espinhal é organizada em segmentos ao longo de sua extensão. Raízes nervosas de cada segmento inervam regiões específicas do corpo. Os segmentos da medula cervical são oito (C1 a C8) e controlam a sensibilidade e o movimento da região cervical e dos membros superiores. Os segmentos torácicos (T1 a T12) controlam o tórax, abdome e parte dos membros superiores. Os segmentos lombares (L1 a L5) estão relacionados com movimentos e sensibilidade dos membros inferiores. Os sacrais (S1 a S5) controlam parte dos membros inferiores, sensibilidade da região genital e funcionamento da bexiga e intestino.

Ao nível cervical, as raízes emergem acima da vértebra correspondente (a segunda raiz cervical emerge acima da segunda vértebra cervical). As demais raízes emergem abaixo da vértebra correspondente (entre a 4ª e a 5ª vértebras lombares emerge a 4ª raiz lombar).

A coluna é forrmada, em média, por 33 vértebras (7 cervicais, 12 torácicas, 5 lombares, 5 sacrais e 4 ou 5 coccígeas). O crescimento desigual entre a coluna e a medula faz com que não exista correspondência entre a vértebra e o segmento medular subjacente. Ao nascimento, a porção terminal da medula, o cone medular, se localiza na altura da segunda vértebra lombar. No adulto, entre a décima segunda vértebra torácica e a primeira vértebra lombar. Abaixo desses níveis, encontramos apenas raízes nervosas, que constituem a cauda eqüina. Como regra, costumamos somar dois ao número da vértebra para estimar o segmento medular correspondente, ou seja, em correspondência à oitava vértebra torácica temos o décimo segmento torácico medular.

Esses conhecimentos são importantes para a compreensão das lesões medulares traumáticas. As lesões medulares incompletas são classificadas como: síndrome medular anterior, síndrome medular posterior, síndrome central, síndrome hemimedular e síndrome radicular (inclui a síndrome da cauda eqüina).

Nas síndromes medulares anteriores, há comprometimento dos dois terços anteriores da medula, que se manifesta por déficit motor e sensitivo abaixo do nível da lesão, sendo que a sensibilidade profunda (vibratória e noção da posição de partes do corpo no espaço) está preservada. Essa síndrome sugere uma compressão anterior da medula como a associada a hérnias de disco traumáticas ou a lesões isquêmicas secundárias.

As síndromes medulares posteriores caracterizam-se por comprometimento do cordão posterior com prejuízo da noção da posição de partes do corpo no espaço. Existe distúrbio da marcha (base alargada com levantar excessivo das pernas para em seguida projetá-las sobre o solo tocando o calcanhar no chão) e nas lesões cervicais, da destreza em membros superiores com incoordenação que se acentua com a privação da visão durante os movimentos.

As síndromes centromedulares de origem traumática são mais freqüentes em pacientes que já apresentavam canal cervical estreito, como o associado a processo degenerativo de articulações intervertebrais (espondiloartrose), e que sofrem lesão relacionada com hiperextensão cervical. Existe comprometimento mais importante da substância cinzenta cervical, que leva a fraqueza e atrofia em membros superiores, com menor envolvimento motor de membros inferiores (esses pacientes, em geral, não podem andar) e sem alteração sensitiva importante.

As lesões hemimedulares, conhecidas como síndrome de Brown-Séquard, são raramente associadas a lesões traumáticas. Caracterizam-se por paralisia e alteração da noção da posição de um lado do corpo no espaço (lado da lesão) e perda da sensibilidade para dor e temperatura do lado contrário à lesão.

Alguns pacientes apresentam apenas lesão de raiz associada ao trauma, ao nível da fratura espinhal. Isso ocorre com mais freqüência na região cervical e se manifesta por dor no trajeto da raiz, fraqueza e atrofia nos músculos inervados por essa raiz.

Quando o trauma ocorre abaixo de L1, apenas as raízes da cauda eqüina são comprometidas. Observa-se fraqueza e atrofia assimétrica em membros inferiores (predomínio da fraqueza distal, afetando principalmente os músculos que fazem a flexão e a extensão do pé e dos dedos), com diminuição persistente do tônus muscular e dos reflexos tendinosos dos membros inferiores. Pode haver retenção urinária.

8 comentários:

  1. OLA WILL !!! KRA VC É UM VENCEDOR A SUA HISTORIA DE VIDA É LINDA ,VC TEM DO SEU LADO ALEM DA SUA FAMILIA TEM TB UM ANJO DE DEUS SUA ( ESPOSA ).
    EU DESEJO TODA FELICIDADE DO MUNDO A VC , QUE VC REALIZE TODOS SEU SONHOS COM GARRA E CORAGEM PQ VC SEMPRE FOI UM GUERREIRO E SEMPRE SERÁ.
    UM ABRAÇÃO DE SEU AMIGO SAINT- CLAIR JR.

    ResponderExcluir
  2. e ai saint-clair! blz cara pelas suas palavras agradeço muito,essas suas palvras me insentiva muito mais.É bom sabe que existe pessoa como vc,muito legal adorei...um abração!!!

    ResponderExcluir
  3. Ola meu nome é Simone e essa é minha historia e meu pedido de ajuda:
    A um mes minha amiga descobriu que esta com a mesma doença ( sindrome da cauda equina) porem nem ela , nem sua familia e nem eu sabemos ao certo o que é essa doença, o que causou essa doenca e como ela ficou assim, ela tem um filho de 2 meses de idade e o medico disse que é provavel que ela tenha tido essa doença durante o parto não sei se isso realmente é possivel. Não sei se vou obter ajuda nesse site porem pesso que se possivel me responda. Minha msg é para pedir ajuda para minha amiga. Ela ta muito debilitada e com seu pcicologico muito abalada achando que nao vai conseguir sair dessa. e o depoimento de pessoas que ja passaram por isso pode ajudala pcicologicamente.Vou contar mais ou menos sua histori. No dia 30 11 2010 ela deu a luz a um menino lindo. tres dias depois ela teve alta. Uma semana depois ela começou a sentir os primeiros simtomas da doença mas o hospital nunca dava o diagnostico por pura incompetencia e falta de vontade pois nesse hospital tem condiçoes de fazer o diagnostico e nao fiseram pelo contrario eles abandonaram minha amiga e negligenciaram ajuda medica que ela precisava. em um certo dia a mais ou menos 20 dias ela procurou um outro hospital e la uma medica de aparentemente 25 anos "muito nova acho que acabara de se formar" escutando os sintomas que ela relatara desconfiou que se tratava dessa doença apos varios esames foi constatado que realmente minha amiga tinha a sindrome da cauda equina durante 15 dias minha amiga ficou enternada tomando varios remedios. Na sexta feira dia 28 01 2011 ela teve alta do hospital mal consegue dormir, tem muitos pesadelos e estou com medo que ela entre em depreção queria ajudar minha amiga mas nao sei como ajuda-la nao conheco ninguem que teve essa doença e como vcs ja tiveram e superaram ou estao superando essa doença se vcs puderem me ajudar, minha amiga e eu agradeceriamos muito.
    Se possivel entrar em contato pelo meu E-mail (simonecristinarr@hotmail.com)e me ajudar e ajudar minha amiga, pois nossa amisade é muito importante para mim
    E se vcs me ajudar ficarei muito grata com vcs
    Ajudem-na pois ela precisa de voces.
    Ter um depoimento de alguem que esta superando ou de alguem que teve força de lutar e superar essa doença que eu desconheco mas que disem ser perigosa é muito importante para ela e para mim.
    Que DEUS os abençoe grandemente as vossas vida e te deem forças para continuar lutando pela VIDA!!!!

    ResponderExcluir
  4. estou me recuperando desta doença, fiz uma cirurgia, com bastante sucesso não tenho mais dores, mas preciso de várias seçoes de fisioterapia para tentar ter minha vida novamente normalizada .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá amigo tenho a sindrome da cauda equina a mais de um ano e venho tendo boas melhoras, podemos nos contatar para trocarmos informações!!!
      Segue os meus contatos:
      Msn e e-mail maiquel_costa@hotmail.com
      FACEBOOK maiquel.costa.3@facebook.com Maiquel Costa de Gravatai RS

      Excluir
  5. Olá amigos, sou Maiquel Costa tenho 28 anos e estou com a síndrome da cauda equina desde o dia 28/10/2011 depois de uma cirurgia de artrodese lombar el L4-L5-S1. Vejo tendo todos os sintomas desde então, disfunção para urinar e evacuar,já tive incontinência urinaria e de fezes, agora tenho retenção, falta de sensibilidade na sela, tenho ereção e não tenho orgasmo pelo fato de não sentir o pênis, tenho falta de força nos membros inferiores e falta de sensibilidade nos mesmos. Depois de muito tratamento que ainda segue até hoje venho conseguindo me adaptar a essa nova vida cheia de limitações porém cheia de esperança de um dia ser como antes uma pessoa saudável e cheio de vida. Meu tratamento consiste em fisioterapia + hidroterapia + natação + musculação + medicamentos para reconstrução da terminação nervosa lesionada. Posso dizer pra vcs que venho tendo melhoras muito relevantes, pois sai do hospital em uma cadeira de rodas, passei a um andador de 4 apoios, depois para duas muletas, depois para uma muleta e hoje ando sem elas com uma certa dificuldade. Deixo o meu contato de e-mail e MSN maiquel_costa@hotmail.com e o link do meu blog http://sindrome-da-cauda-equina.webnode.com/ caso alguém tenha intenção de entender melhor a situação.
    Abraços Maiquel Costa

    ResponderExcluir
  6. Olá amigos, sou eu novamente, Maiquel Costa!
    Venho contar a vcs que depois de 17 meses de pós lesão voltei a ter a função fisiológica ( urina e fezes ) normalmente, e o mais impressionante de todos, voltei a ter orgasmos, ejaculação tudo como antes, a cada dia que passa tudo fica melhor. Hoje em dia a unica coisa que ainda luta muito para recuperar é a marcha completa, pois ainda ando com dificuldade.
    Deixo o meu contato de e-mail e MSN maiquel_costa@hotmail.com e no facebook maiquel.costa.3@facebook.com e o link do meu blog http://sindrome-da-cauda-equina.webnode.com/ caso alguém tenha intenção de entender melhor a situação.

    Abraços Maiquel Costa

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. nônimo13 de novembro de 2013 02:34

      Aqui em Portugal tem um medico, podem pesquisar no Google - Dr. Antonio Reis Neurocirurgião, é no privado que opera, pelo que sei é caro, o meu filho ja la foi ter com ele no Hospital da Cruz Vermelha, como referido é Hospital mas privado podem consultar tambem. é pioneiro e tem uma tecnica que só ele sabe. Disse-me que lhe devolveria a sensibilidade perdida, devolver o equililibrio, não aparecerem mais escaras e com a recuperação devolver-lhe o sentido de urinar sem ter de estar ligado a argalias bem como na parte das fezes. Falei com ele algumas vezes.Ficou de voltarmos a falar este mês, pois ia realizar uma cirugia para alem desta onde refere que não mexe na medula, isto para o caso do meu filho que ficou sem sensibilidade da cintura para baixo. Na que ira fazer em barcelona e num acidentado do Paris/Dakar ai vai aplicar as celulas tronco, pode ser que tambem volte a caminhar.Consegui pelo que esta descrito na net por a andar um individuo espanhol ao fim de 9 anos. Como me referiu, mesmo nao conseguindo por a andar melhora a qualidade de vida e o tempo o dirá. Vamos todos ter esperança e acreditar. O maior problema aqui são os elevados custos, pelo que calculo essa primeira cirugia deve rondar 40 ou 50 mil euros, se forem aplicadas as celulas entao ai nem imagino. Diz que a operação não corre riscos e que não e necessario tomar mais medicação, antes pelo contrario a quantidade que se toma hoje e diminuida. Pesquisem, tenho o contato dele. Pelo que li vem perto de 200 anualmente junto dele. Li a dias um pai dizer que o filho tinha sido operado por ele e ja via resultados positivos nunca antes alcançados.
      A vida e estranha e por vezes se ppergunta porquê, e um sofrimento para quem esta nessa situação, e para a familia e um luto para o resto da vida. Eu como pai estou muito em baixo, e tem mais não tenho como forma de pagar esses valores. Quem sabe amanha é outro dia, vamos ter fé e acreditar que amanha tudo poderá ser diferente. A vida e uma passagem e eu perdi o gosto pela vida. Coragem para todos voces, alguma coisa aqui vai o meu email: felicioalvarez@yahoo.com. Um bem haja para todos os cadeirantes de hoje, quem sabe amanha não voltem a caminhar

      Excluir